O que você não sabia a respeito do magnífico cão Bull Terrier

O surgimento do magnifico Bull Terrier na História

O Bull Terrier contemporâneo se diferencia bastante do Bull Terrier do século XIX no que concerne a sua constituição. O Bull Terrier tem proveniência em cães padrão Bull e Terrier, criados como cachorros caçadores e briga, esportes abolidos na Inglaterra neste período. A sua origem está ligada a um indivíduo intitulado James Hinks, da cidade de Birmingham (Inglaterra), que, depois de vários anos de experimentações, mostrou a espécie no meio do século XIX.
Todavia, o primeiro surgimento da espécie que, mais tarde, seria acasalada com a raça Dálmata com o objetivo de se tornar o Bull Terrier que conhecemos nos tempos atuais foi concebida em meio à procura pelo animal de briga ideal. A briga entre cachorros e, ainda, entre cachorros e touros, era bastante normal na Grã-Bretanha de antigamente, mesmo com a sua interdição neste país.
Para entender a origem desta espécie (que pode ser considerada a transformação das mesclagens entre Bulldogs, English White Terriers e Dálmatas) é essencial perceber que os antigos Bulldogs que lhe originaram são originários dos cães mastins – frequentemente usados para encarar espécimes de extenso tamanho das mais diversas naturezas.
Criados a partir de espécies de espécimes furiosos, resistentes e violentos, os Bulldogs antigos foram desenvolvidos como combatentes – e foi por esse motivo que essa foi uma das raças utilizadas para pretender dar proveniência ao cão de combate ideal, que acabou tornando-se o Bull Terrier após uma outra série de misturas.

Particulariedades do Bull Terrier

O Bull Terrier é uma espécie submissa, excessivamente paciente perante a disciplina. Ele é muito astuto, extremamente resistente e com suas medidas bem divididas. Sua cabeça é alongada, sólida e imensa até o final do focinho, a superfície é livre de fendas ou contornos e o maxilar é profundo e resistente. Seus olhos são fundos, pequeninos e levemente elevados, com olhar penetrante. Suas orelhas são aproximadas, retas e curtas.
O seu esterno fica mais aproximado do solo, apresentando uma cernelha com grande profundidade e o seu dorso é oval e suas costelas são extremamente curvadas. A cauda da espécie geralmente não é pequena, de inclusão nunca muito erguida.
Sua pelagem é bastante estreita, densa e firme quando tocada. O Bull Terrier mais comum é esbranquiçado, integralmente ou com algumas marcações em outras cores. E tem o Bull Terrier plenamente pigmentado, com mínimas partes brancas.

Como tomar conta de um Bull Terrier

Você precisa agradá-lo com exercícios que despertem sua mentalidade. Deixe o cão em um local resguardado, no entanto ele aprecia locomover-se bastante. Ele não precisa ficar ao ar livre, mas vivendo dentro de casa, com acesso ao quintal.
Exercícios físicos e mentais são importantes para ter equilíbrio e tranquilidade entre o cão e as pessoas à sua volta, todavia as diversas mutações ocorridas com a raça desde o seu início tenham tornado o Bull Terrier mais dócil, afetuoso e tranquilo. Embora, sua origem permanece sendo a de um cão de luta e, devido a isso, ele necessita de gastar energia de um jeito incessante, liberando a força contida que pode deixá-lo bastante nervoso frente a uma condição ameaçadora.
Apartamento não é o melhor lugar para se criar um Bull Terrier, dado que ele tem necessidade de espaço para correr e divertir-se. Para essa espécie que precisa de consumir demasiada energia, um espaço maior é o melhor, apesar de haver pessoas que têm esse animal mesmo habitando em pequenas habitações. Se este for o seu caso, compreenda que você tem que fazer com que ele faça diversas atividades com o objetivo de evitar futuras complicações.
Os cuidados com a pelagem são mínimos.

Benefícios de ter um pet Bull Terrier

Essa espécie não é aconselhada para todos os indivíduos, porém as que o dispuserem verão inúmeras coisas agradáveis. Seu comportamento é, sem dúvida, o traço mais típico desses cães. Este cachorro vai segui-lo até o último dia de sua vida, sendo bastante leal a você e sua família. Ao passear com este cachorro, entenda que ele é muito curioso, analisando todas as coisas a sua volta e se entretendo ao mesmo tempo.
Tudo que você conceder ao Bull Terrier, seja um bicho de mentira ou uma bolinha, ele irá farejar, distrair-se por algum momento e, então, vai destruir em questão de pouco tempo. Sem instrumentos para distrair-se, o Bull Terrier é, certamente, imaginativo o bastante para permanecer ativo. O intento de manter-se distraído é um traço usual em todos os cães, embora é uma qualidade substancial dessa raça em especial.

Problemas mais comuns do Bull Terrier

Os distúrbios de pele são muito usuais neste cachorro, bem como a Acne ou Acrodermatite, esta já é bem mais séria, porque inclusive os bebês são afetados por ela. A Acrodermatite pode gerar até feridas em diversas partes do corpo do cão.
Um dos significativos problemas da espécie é a perda auditiva, de um ou ambos ouvidos. Julgava-se que esse problema era por causa da coloração branca do cachorro, daí terem sido gerados espécimes mais coloridos.
Se você gosta de cães mais submissos, é muito melhor refletir duas vezes antes de comprá-lo, entretanto, caso você queira um cachorro esperto, esse é o adequado. Essa é uma raça de característica irrefutável, que dá a sensação de objetar os comandos que ganha e, por causa disso, não se sugere que obtenha um proprietário de primeira viagem, entretanto sim, um que tenha domínio em relação ao cachorro.
Esse cachorro é muito resistente ao treino, por causa disso ele leva um tempo maior para entender com relação aos demais. Com pessoas diferentes, ele não costuma ser ofensivo, como também não é festeiro, desde que seja socializado o quanto antes.

Filhotes de Bull Terrier

Precisamente como os cães idosos, as crias são inclusive uma fonte de vitalidade e precisam de exercício e de coordenação pois, como parecem estar constantemente caçando alguma coisa para fazer, caso sejam deixados desacompanhados por longos períodos, podem ser bastante destrutivos. Não são cachorros que se possa deixar solitários em um apartamento ou sós num jardim da casa.
A pelagem desse cão é muito curta e não precisa de cuidados extremos. Se você mora em um prédio, analise bem: uma vez que será necessário ajudá-lo a exaurir a energia de várias maneiras.
O que irá definir se o seu cão vai ser agressivo ou não é o tipo de tratamento que você concede para ele: seja carinhoso com o seu espécime e você irá ter um cachorro amável, respeitoso e muito parceiro durante toda uma existência.
Os Bull Terrier são muito musculosos, fazendo que, quando estão bravos, possam ocasionar grandes problemas para aqueles que estão na sua frente. Por isso o amor é extremamente essencial. Este cachorro não é agressivo, embora, se incitado para um ato deste, pode ser equiparado a um Pitbull em estado de fúria.

Curiosidades com relação ao Bull Terrier

Você possuirá variados motivos para rir desse cão. Um pouco exibicionista, não se assuste se avistar seu Bull Terrier disparando de um lado para o outro pelos cômodos de casa, saltitando e avançando em objetos inanimados só para chamar sua atenção e demonstrar como é robusto. Se você tiver bastante energia, vai poder distrair-se com ele por muitas horas.
Se essas aptidões físicas não chamarem sua atenção, é aconselhado que cubra os ouvidos. Ele irá arrumar um modo de chamar a sua atenção. Eles vão reclamar, rosnarão e irão balbuciar para entretê-lo. Aceite ou não: seu Bull tentará “conversar” com você. Logo que conseguir algum tipo de reação, irá utilizar seu aparente irrestrito dicionário de forma regular.
Seu proprietário irá agradar-se com isso, embora para alguns isto seja capaz de parecer esquisito. Os Bull Terriers amam achar seja qual for o tipo de arbusto ou uma pequena parte de relva com o objetivo de se hospedar, ao observarem-nas eles não vacilarão em se deitar por baixo delas.
Olhando mais de perto poderá enxergar o cão com um olhar enevoado, tal como se permanecesse em transe, enquanto que a corrente de ar sopra suavemente em volta dos arbustos e lhe acaricia as costas. Depois de algum tempo, ele se levantará, vai ajeitar o seu pelo e continuará o seu passeio. E não é só com arbustos ou gramados originais, com árvores de natal ainda já foi visto esse tipo de atitude, que ainda é demasiadamente sem explicação.

Deixe uma resposta