O excepcional Basset Hound

O excepcional Basset Hound

Os cães Basset Hound foram utilizados com o intuito de capturar bichos pequenos, atualmente eles ainda são empregados para essa intenção em inúmeras regiões. Quando ele não está perseguindo, ele é um amigo irreverente de todos os familiares que ama a criançada.

Informações sobre a Raça

O Basset tem uma gigante envergadura intelectiva e uma postura sublime. O Basset Hound é um ótimo companheiro com seus familiares, bem como um excelente cachorro de caça. Além disto o Basset Hound é um símbolo das propagandas por causa da sua aparência encantadora. O nome Basset é originado da expressão da França “basse”, que quer dizer baixo. O Basset é um cão demasiadamente baixo, seu porte físico quase chega a encostar o solo. Os Bassets possuem o peso em torno de 25 a trinta e cinco kg, possuindo uma constituição óssea muito pesada e um porte físico muito atlético. São vistos como cachorros grandes com patas bem pequenas, todavia não têm mais que 38 centímetros. Sua aparência de patas pequenas é o produto de uma forma de naniquismo denominado “Acondroplasia”. Apesar de seu porte físico, o Basset Hound pensa ser um cão de colo e vai fazer o que pode pra encaixar-se no seu. Por serem cães caçadores, eles foram adestrados para perseguir suas vítimas por meio do odor, devido a isso são incríveis farejadores. Seu olfato fenomenal é o segundo melhor entre as espécies de cães, achando-se atrás simplesmente do espécime Bloodhound. Para se tratar do Basset não é necessário enormes esforços, uma vez que seus pelos são bem tranquilos de tratar, sem falar que, possuem a pelagem pequena, bastante alisada e de uma densidade endurecida. A grande parte deles vem no clássico padrão três cores: preto, marrom e esbranquiçado, contudo ainda pode ser o que se compreende como vermelho aberto e esbranquiçado (marcas vermelhas com um pelo branco), avermelhado fechado e branco (avermelhado sólido com patas brancas e rabo), ou amarelo e esbranquiçado. Você pode observar um Basset Hound cinza porém pressupõe-se que esta coloração em cachorros da espécie Basset Hound pode estar associada a distúrbios de genes. O Basset tem uma pele amarrotada na face, em especial quando encontra-se sentindo o cheiro de qualquer coisa, além disto apresentam um crânio redondo e um nariz bem curto. Essa pele frouxa também faz com que estes cachorros tenham um aspecto entristecido, o que diversas pessoas assentem que amplia seu charme. Por serem criados pra serem cães de caça, várias das características dos Basset Hounds têm um objetivo. Suas orelhas longas e abaixadas arrastam-se pelo chão e absorvem odores, enquanto a pele frouxa ao redor de seu crânio forma rugas que pegam muito mais o cheiro do que encontra-se sendo perseguido. As patas encurtadas desse Basset Hound fazem com que este cão se mova vagarosamente do que cães de patas mais compridas, o que torna mais simples pra os caçadores seguirem o Basset Hound em caminhadas. Sua cauda é longa e tem uma extremidade esbranquiçada no fim, facilitando a observação do espécime pelos caçadores no momento em que estão seguindo em grama elevada. Sendo domesticado, o Basset acaba por se tornar bastante dócil e grandemente molenga. Ainda por cima é bastante brincalhão, bastante leal a seu dono e inclusive bastante amigo. Eles se ajustam com vários outros tipos de espécimes e inclusive de seres humanos, pois, com o passar de sua origem, eles foram gerados como matilhas. Os Bassets são cães profundamente sociais, eles acham péssimo permanecer solitários, por isso eles podem fazer escândalos caso sejam abandonados. Seu latido peculiar é elevado e pode ser escutado a longo alcance. O cachorro da raça Basset Hound não permanece bastante dinâmico dentro de casa, por causa disso pode ganhar peso e tornar-se obeso muito rápido. Pelo exagero de peso corporal, caso não seja equilibrado, pode suscitar distúrbio de coluna e ainda nas patas. Dessa maneira, a atividade física constante é um dever para estes cachorros. Eles possuem uma enorme resistência e gostam de realizar longos passeios. Ao andar com o Basset Hound, fique ciente de que ele ama cheirar. Se ele percebe um cheiro vai procurar perseguir esse odor e vai poder se distanciar caso não esteja em uma coleira. Como são bastante resolutos em farejar, eles vão acompanhar o cheiro pela rua e vão poder atravessar inclusive em frente a um carro para irem seguir o cheiro, podendo se lesionar se não ficarem presos pela guia ou em um jardim cercado. A calma precisa ser uma virtude no momento em que se trata de treinar um Basset Hound. Eles são extremamente indisciplinados, birrentos e trabalhosos de serem adestrados, portanto procure deixar o treino mais agradável para o seu cão. Diversos Basset Hounds irão acatar às ordens, porém outros só irão acatar caso você tenha uma gratificação apetitosa para presentear a ele. É possível educar um Basset Hound de forma tranquila, desde que você consiga ser sereno e muito dedicado. Apenas certifique-se de utilizar processos de treinamento amáveis e práticos. Nunca trate eles rigorosamente e com bastante estupidez, pois eles são excessivamente emotivos e bastante irritáveis. O latido de um Basset é genuíno. Eles mais ganem que latem. Eles também, têm um latido diferente e murmurante que usam à medida que querem atenção ou estão pedindo alimento. Graças a suas fisionomias entristecidas e pidonas, em algumas ocasiões eles são espertos e podem adquirir algumas guloseimas. Basset Hounds domesticados são cachorros com bom comportamento, descontraídos e, geralmente, alegres. Eles são muito gentis com a criançada e outros animais de estimação. No momento em que não estão acompanhados, apresentam o infeliz hábito de uivar e salivar constantemente. Se você conseguir aguentar as qualidades únicas do Basset Hound, ele pode se tornar um maravilhoso companheiro para você e sua família, que irá ficar radiante em se divertir por toda a casa, no quintal, tal como se estivesse caçando.

Destaques da raça

Que nem todos os cachorros de caça, Basset hounds podem ser teimosos e difíceis de domesticar em casa. Ao adestrá-lo utilize caixas. Se forem capazes de sentir um cheiro excitante, Basset Hounds podem tentar segui-lo, não importa quanto perigo isso possa significar. Por isso, deixe seu Basset Hound em uma coleira quando estiver passeando na rua. Esta espécie de cachorros atua por vontade própria e não comporta-se satisfatoriamente às formas de adestramento severas. Caso você não goste de espécimes babões, não apanhe um Basset, pois ele espuma pela boca intensamente. Por causa da pele solta em torno da boca, eles também inclinam-se a fazer bastante bagunça sempre que tomam água. Caso você seja chato na limpeza de casa e julga não ser capaz de tolerar bastante saliva, um Basset Hound não é a opção mais adequada pra você. Basset Hounds muitas vezes possuem gases. Contudo se o problema se apresentar de maneira excessiva, veja com um médico-veterinário. Talvez seja simplesmente uma alteração na refeição. A gordura em demasia é um problema efetivo para Basset Hounds. Olhe sempre sua nutrição, pois enquanto tiver ração em suas tigelas eles irão comê-la. Você já sabe: se engordar além da conta, problemas de coluna e nas patas vão despontar, não tenha dúvidas. A dosagem de ração que necessita de ser entregue a um Basset Hound difere consoante a forma física de cada cachorro, e não segundo a dosagem aconselhada no saco ou lata da ração. Alimente-os duas ou três vezes ao dia com o objetivo de se prevenir algum problema futuro. E não consinta que seu Basset Hound realize atividades físicas com bastante intensidade depois de comer. Não é somente simplesmente comer e está tudo ok. Você tem que ver se ele está passando bem depois da refeição, preferencialmente por aproximadamente sessenta minutos. Para não ter problemas de contaminação nos ouvidos, limpe as orelhas do seu Basset uma vez por semana. As orelhas pendem a permanecer muito bem sujas por causa delas se rastejarem pelo chão, consequentemente lave-as com frequência para que a impureza não se aglomere. Por causa do comprimento de suas pernas, não deixe que seu Basset fique saltando de alturas demasiadas, pois não é recomendado para eles. Pegue o cachorro e sustente sua coluna para confirmar que ele não se machuque ao saltar de algumas mobílias e outros lugares elevados. À medida que desenvolvem-se, os bebêzinhos de Bassets têm a propensão de obter determinados problemas. Revele para o seu Basset que ele não pode saltar de cima das mobílias e do veículo. Nunca deixe-o fazer qualquer ameaça de pular. O Basset não sabe nadar muito bem, justamente pelo peso que possui em sua constituição física, mais de 50% está na região posterior do seu pequeno corpo. Fique esperto a fim de que seu Basset Hound não caia em alguma piscina, já que ele pode chegar a ter problemas e afogar. Pra adquirir um cão sadio, jamais selecione um filhote de um criador inconsequente ou em um comércio de cachorros sem procedência. Procure por um criador estimado que confira seus cachorros reprodutores com o objetivo de se atestar que os cães estão sem risco de maléstias genéticas que possam ser transmitidas para os filhotinhos.

História do Basset Hound

De proveniência gaulesa, Basset Hounds provavelmente originam-se do St. Hubert Hound, o antecedente do atual Bloodhound, e despontaram no momento em que uma modificação na estirpe de St. Hubert produziu um espécime de patas encurtadas ou nanico. Apesar de sua constituição remontar ao propósito de caça, justamente pelo seu físico e suas pequenas patas, o Basset pode ter sido empregado em primeiro lugar como mera diversão. A primeira menção registrada de um Basset Hound foi em um livro ilustrado sobre caça, “La Venerie”, redigido por Jacques du Fouilloux, em 1585. Das figuras, tem-se a ideia de que os primeiros Basset Hounds franceses se pareciam ao atual Basset Artésien Normand, uma raça de cachorros hoje conhecida na França. Os Basset Hounds foram primeiro célebres com a aristocracia francesa, entretanto logo após a Revolução Francesa, eles se tornaram os cachorros de caça dos pobres que careciam de um cão que aguentavam seguir andando, sem ter acesso aos equinos da época. Na metade do século XIX, o Basset chegou à Grã-Bretanha. O primeiro par de Bassets Hounds produziu cinco cachorrinhos na Inglaterra no ano de 1866. Foi Sir Everett Millais quem trouxe um Basset Hound do país francês, no ano de 1874. Millais impulsionou a raça na Grã-Bretanha e começou um programa de procriação no seu próprio canil, bem como em assistência com planos de concepção convencionados por Lord Onslow e George Krehl. Millais é tido como o responsável por vulgarizar o Basset na Grã-Bretanha, sendo chamado de “criador do Basset Hound”. A primeira demonstração de um Basset foi em 1875 em um espetáculo pra cachorros do Reino Unido. No momento em que a princesa de Gales, Alexandra, acolheu alguns cachorros Bassets e preservou-os em um canil real, eles ficaram ainda mais famosos. O clube britânico Basset Hound foi criado no ano de 1884 na Inglaterra. Mesmo que o Basset Hound tenha chegado à América, provavelmente, nos períodos coloniais, a espécie não se transformou própria nos EUA até o começo dos anos 1900. A AKC (American Kennel Club) designou legalmente a espécie em 1916, mesmo que o Basset foi catalogado primeiramente por volta de 1885. Entretanto, no continente americano, no ano de 1928, foi que o Basset experimentou uma extensa virada. Houve uma narrativa divulgada na revista Time, onde esta teria sido provavelmente percebida pelo ponto-de-vista de um cãozinho Basset Hound. Esta revista ainda pôs a foto do Basset Hound na capa. O encanto do Basset Hound foi descoberto, e a partir deste período, o Basset Hound passou a aumentar sua fama. O Basset Houd se introduziu na cultura pop em grande estilo nos anos de 1960 por sua fisionomia. O Basset é tão famoso que foi classificado pelo AKC em vigésimo oitavo de cento e cinquenta e cinco espécies existente no planeta. Isto mostra como o Basset se alastrou em todo o planeta. O jeito como seus donos celebram seu encantamento pela raça chega a ser complicado de se revelar. Eventos exclusivos para donos de cães da espécie são tradição em inúmeras áreas, dependendo atraindo milhões de Basset Hounds e suas famílias.História do Basset Hound

Os Hounds originaram-se em uma diversificação da raiz de St. Hubert, a qual produziu um cachorrinho nanico de patas muito encurtadas. Apesar de sua origem aludir ao intuito de caça, por causa do seu físico e suas pequenas patas, o Basset é capaz de ter sido utilizado em primeiro lugar como simples diversão. Foi no caderno ilustrado a respeito de animais de perseguições, “La Venerie”, do ano de 1585 que tivemos o primeiro arquivo do Basset Hound. Das imagens, tem-se a ideia de que os primeiros Basset Hounds da França se assemelhavam ao contemporâneo Basset Artésien Normand, uma espécie de cachorros recentemente conhecida na França. Os Basset Hounds foram primeiro populares com a nobreza francesa, mas depois da Revolução Francesa, eles se tornaram os cães de caça dos plebeus que careciam de um cão que fossem capazes de seguir a pé, sem ter acesso a cavalos. Eles chegaram na Grã-Bretanha até metade de 1801 e 1900. Lord Galway importou um casal de cães da raça Basset Hound à Inglaterra no ano de 1866 e eles conceberam uma ninhada de 5 crias. Foi Sir Everett Millais quem trouxe um Basset Hound do país francês, no período de 1874. Em associação com Lord Onslow e George Krehl, Millais começou a desenvolver a raça na Inglaterra, tendo um próprio canil pra isto. Millais é considerado como o responsável por lançar o Basset na Inglaterra, sendo chamado de “pai do Basset Hound”. Millais mostrou primeiramente um Basset em um show de cães ingleses em 1875. Alguns anos mais tarde, a raça ficou ainda mais popular no momento em que Alexandra, a princesa de Gales, conservou Basset Hounds nos canis reais. No ano de 1882, o Kennel Club na Inglaterra registrou a espécie e, em 1884, formou-se o clube da Inglaterra Basset Hound. Mesmo que o Basset Hound tenha entrado na América, possivelmente, nos tempos coloniais, a raça não se tornou própria nos EUA até o começo do século XX. A AKC (American Kennel Club) denominou oficialmente a espécie no ano de 1916, ainda que o Basset foi assinalado pela primeira vez em 1885. Todavia, na América, no ano de 1928, foi que o Basset sofreu uma vasta virada. Houve uma história contada no periódico Time, onde esta teria sido provavelmente contada pelo ponto-de-vista de um cachorrinho Basset Hound. Esta revista ainda pôs a foto de um Basset Hound nas primeiras páginas. O fascínio do Basset Hound foi revelado, e a partir deste momento, o Basset Hound passou a aumentar sua notoriedade. O Basset Houd se introduziu na cultura pop com muito classe nos anos de 1960 por sua aparência. O Basset Hound é, nos dias de hoje, tido como o 28º entre as 155 raças e diversidades catalogadas pelo AKC, um testemunho de sua fama insistente. O método como seus proprietários celebrizam seu encantamento pela raça é até complexo de se revelar. Milhões de famílias e de Bassets se dirigem a espetáculos singulares que ocorrem em muitas localidades do planeta.

Tamanho do Basset Hound

Se sua casa tiver variados níveis de escadas não é aconselhado que se possua um Basset, uma vez que ele é muito gordo e você precisa cogitar se vai poder levantá-lo sempre que precisar. E no momento em que ele estiver enfermo e incapaz de caminhar: você irá poder erguê-lo cada vez que for necessário?

Personalidade do Basset Hound

O Basset é bastante divertido, ainda no que concerne a sua aparência leve. O que realmente retira a sua atenção são os aromas que ele nota. Apesar de demonstrar muita calma, ele está sempre em alerta. Como todos os cachorros de caça, ele é capaz de ser rebelde quando se trata de educação e de conceder respostas a comandos. Ofereça a ele retribuições e afago e veja os resultados aparecerem. Como todos os espécimes, o Basset Hound necessita de sociabilização desde filhote – exposição a todos, barulhos e experiências várias. Socializando seu cão desde pequeno vai fazer com que ele seja mais equilibrado emocionalmente.

Saúde do Basset Hound

Basset Hounds frequentemente são sadios, contudo, como todas as espécies, são predispostos a certos problemas relacionados à saúde. Não significa que todos os Bassets vão ter os distúrbios acima descritos, mas fique esperto, porque possa acontecer que seu cachorrinho seja afetado por certa enfermidade. Se você está adquirindo um filhotinho de cachorro, procure um bom tratador que vai lhe mostrar autorizações de saúde dos pais deste filhotinho. Autorizações de saúde constatam que o cachorro foi analisado e está liberto de certos problemas. Dilatação gástrica-volvulus (GDV): ainda conhecido como inchaço ou torção gástrica, essa é uma circunstância que ameaça a vida e que pode afetar cachorros como Basset Hound, em especial caso eles sejam alimentados com muita quantidade de comida diariamente, se ingerem rapidamente. Muita gente crê que o alimento dado ao seu cão interfere ainda mais. Ainda que suceda em todas as idades, ela é mais comum nos cachorros mais idosos. A torção ocorre após um aglomeramento de ar ou gases no estômago. A volta sanguínea ao coração é retida, porque o cachorro não pode regurgitar ou arrotar para se ver livre do acúmulo de ar em seu sistema digestivo. O cão entra estado de choque após a pressão dele cair. Sem atendimento médico imediato, o cão pode morrer. Suspeite de inchaço se o seu cachorro possui um abdome inchado, está babando excessivamente e vomitando ininterruptamente. Ele ainda pode estar agitado, estressado, sonolento e fraco, com uma pulsação cardíaca acelerada. Há indícios de que a dilatação gástrica é genética, por causa disso orienta-se que cães que têm essa situação tenham que ser castrados ou esterilizados. Doença de Von Willebrand: apresenta-se como uma doença de genes que pode acarretar sangramento de leve a relativamente grave e prolongado. Solicite ao médico-veterinário um exame completo sanguíneo a fim de checar se, por acaso, o seu Basset Hound tem alguma enfermidade de Von Willebrand. Panosteíte (inclusive chamado de Laminação errante ou Transiente): Esta é uma moléstia inexprimível que certas vezes é vista em jovens Basset Hounds. Seu sinal primário é a claudicação súbita e os filhotes costumam superar o quadro até a idade de 2 anos, sem problemas a longo prazo. A claudicação pode ser simples ou grave. Diversos veterinários não estão cientes deste problema em Basset Hounds e podem diagnosticar o animal com uma displasia do cotovelo, displasia na anca, luxação da patela ou distúrbios bem mais sérios. Se diagnosticado equivocadamente, o veterinário pode desejar fazer uma operação no seu cachorro que não é necessária. Peça a um perito em ortopedia para executar um exame, porque é essencial antes de se efetuar qualquer tipo de operação indevida. Glaucoma: É bem habitual descobrir Bassets com Glaucoma, esta que é uma doença bem habitual na espécie. Ela se caracteriza pelo aumento da pressão ocular, ocasionando a cegueira. Ao verificar que seu cachorro esfrega um ou os dois olhos regularmente, ou que os olhos deles se mostram vermelhos, não pense duas vezes em levar o seu cão a um médico-veterinário para um check-up mais detalhado. Em poucas horas, o olho do seu cão poderá ser afetado pelo Glaucoma, lesando seriamente a retina ou o nervo ótico. Alergias: as alergias são usuais a cães da raça Basset Hound. As alergias a diferentes alimentos são diagnosticadas e tratadas eliminando esses alimentos da refeição do cachorro até que o verdadeiro motivador do problema seja constatado. Quando a pele do cão entre em atrito com shampoos, pós para pulgas ou outros produtos químicos pode ser gerada uma alergia por contato. Elas são tratadas detectando e tirando a causaIdentifica-se a razão e, depois, remove-se totalmente o que se encontrar fazendo mal ao seu cachorro. Luxação patelar: esse é um problema usual em cachorros pequenos. Quando a patela não se encontra adequadamente bem proporcional, consequentemente ocorre a Luxação Patelar. Isso acarreta claudicação na pata ou uma marcha incomum, como um pulo. Em via de regra, pode ocorrer após o aparecimento da espécie, porém a luxação ou o desalinhamento não se suceda exatamente até muito mais tarde. Enfermidade do disco intervertebral: Os sintomas de um distúrbio na coluna integram inaptidão de se erguer nas patas de trás, paralisia e certas vezes perda do controle do intestino e dos rins. Quando for agarrá-lo, apoie bem a sua mão nas costas e na parte posterior de seu cachorrinho. Se tiver um enorme problema, o tratamento pode constituir-se no uso de medicamentos, confinamento e ainda uma operação para remover os discos que estão proporcionando a moléstia. Em determinados casos, é preciso prender o cachorro a uma cadeira de rodas para cãozinhos pra que ele seja capaz de se mover. Contaminações de ouvido: Trate sempre higienizando no interior das orelhas do seu Basset Hound toda semana e levando-o para o veterinário caso o ouvido comece a cheirar mal ou se parecer infeccionado. Obesidade: As raças Basset Hound podem sofrer com um grave problema: a obesidade. Displasia do quadril: Essa lesão no quadril pode produzir-se por vários causadores: genéticos, dieta e o meio ambiente. Basset Hounds prejudicados podem ser capazes de levar vidas normais e sadias, mas muitos podem precisar de cirurgia objetivo de se locomoverem sem impedimentos. Esta é uma condição genética em que o fêmur não ajusta perfeitamente nas articulações do quadril. Muitos cachorros demonstram dor e claudicação em uma ou ambas as pernas de trás, porém você pode não reparar indícios de incômodo em um cachorro com displasia do quadril. Apenas com o raio-X podemos detectar qualquer tipo de anormalidade em cães mais idosos. Os cães com displasia do quadril não podem se reproduzir. Confira com o comerciante a permissão de saúde, mostrando que o animal se encontra em excelentes condições de saúde e não há nenhum indício do transtorno. A displasia do quadril é transferida de geração em geração, entretanto também pode ser ocasionada por motivos ecossistêmicos, bem como o crescimento rápido, uma dieta de alto valor calórico ou ferimentos gerados por saltar ou desabar em pisos escorregadios.

Cuidados com o Basset Hound

Nem o calor exagerado ou o frio cortante são ideais pra o seu Basset. Mesmo que sejam ociosos, eles admiram andar durante muito tempo, particularmente se encontrarem odores que chamem a sua atenção.

Alimentação do Basset Hound

A cada dia o seu cachorro deve comer de 1, 5 a 2, 5 porções de ração de excelente qualidade, separadas em duas refeições. O quanto seu cão adulto consome resulta do tamanho, de sua idade, do metabolismo e do nível de exercício físico. Nem todos os cachorros, bem como pessoas, necessitam da mesma porção de comida. Um cachorro que está constantemente recostado o tempo todo usualmente necessita de bem mais alimentação do que um que se movimenta o tempo todo. Atente-se na alimentação: não adianta comprar ração barata para economizar, sendo que ela não terá os suplementos essenciais para o ótimo crescimento de seu cão, pois se ele ingerir uma ração repleta de nutrientes, ele não irá sentir precisão de comer todo dia. Todo mundo sabe que o Basset é propenso à obesidade e adora se alimentar. Conserve seu Basset Hound em boa forma medindo sua comida e alimentando seu cão 2 vezes por dia, em vez de deixar comida acessível todo o dia.

Coloração do pelo e limpeza

A impureza e a água são repelidas pela pelagem do Basset, por causa de sua pelagem pequena e lisa. Seu pelo é demasiadamente espesso para proteger o cão em todos os tipos de temperatura. Sua pele é frouxa e elástica, dando ao cachorro Basset sua clássica fisionomia “enrugada”. Mesmo que dificilmente observado, estes cães têm uma pelagem amarelada e branca. É bem possível notar Basset Hounds na coloração acinzentada, todavia esta coloração não é desejável, visto que é o resultado de um dna recessivo que foi associado a vários distúrbios de genes. Exceto pelos cuidados com a limpeza dos ouvidos e das rugas do rosto e com as salivações que o Basset Hound deixa para trás, esse animal é fácil de tomar conta. A umidade e a impureza são repelidas pela pelagem bastante pequena. Muito dificilmente você irá perder tempo dando banho em seu cachorro, a não ser que ele tenha se enfiado em uma imundície. Escove a pelagem de seu Basset toda semana e verá que não irá ter nenhum tipo de incômodo com a sua pelagem. As orelhas de Basset Hound são compridas e rastejam-se pelo solo, o que é capaz de deixá-las bastante sujas. Como o oxigênio não circula perfeitamente por entre os ouvidos internos, eles são suscetíveis de possuir distúrbios em seus ouvidos. Limpe o ouvido dos Bassets ao menos a cada semana, para evitar quaisquer distúrbios vindouros. Limpe o lado externo das orelhas para remover qualquer impureza, higienize as rugas faciais com um pano umedecido e desça-as totalmente, e veja suas patas para observar se há feridas no meio dos dedos dos pés. Evite o mau hálito e o tártaro escovando os dentes de seu cachorro constantemente. Corte as unhas do Basset Hound 1 ou 2 vezes por mês. Se, ao andar, tiver algum barulho, então chegou o momento de cortas as garras de seu cão. As garras cortadas conservam os pés em boas situações e previnem os arranhões nas suas canelas quando seu Basset Hound pula em cima de você com felicidade para cumprimentá-lo. Comece a habituar seu Basset Hound a ser penteado e examinado no momento em que ele ainda é um filhote. Manuseie as pernas dele com frequência e olhe dentro da boca e orelhas do seu espécime sempre que puder. Faça desse período uma prática positiva, repleta de elogios e agrados e você estará preparando o cachorro aos exames veterinários fáceis e pra outras situações no momento em que for adulto.

Crianças e outros animais de estimação

Eles podem se dar bastante bem com as pequenas crianças. Contudo jamais deixe que uma criança monte no seu cachorrinho, pois a sua coluna é lesionada facilmente, e, especialmente, que elas nunca os maltratem. Nunca tire os olhos do seu cachorro ao ver qualquer criança bem perto, pois as crianças podem puxar o rabo ou as orelhas, fazendo com que esse cão fique bravo e contra-ataque com uma mordida. A gente percebe que um cachorro não gosta enquanto está alimentando-se e qualquer um se aproxima, portanto avise a seus filhos pra jamais se aproximar. Os Basset Hounds desfrutam do acompanhamento de outros cachorros e, também, são capazes de lidar satisfatoriamente com os bichanos, principalmente se estes animais são revelados a eles ainda bem pequenos.

O “cãopanheiro” Samoieda

O “cãopanheiro” Samoieda

A história do Samoieda é bastante controversa e confusa, embora existe uma interpretação que é bem aceita entre os produtores – estes cachorros foram empregados pelas civilizações nômades da região da Sibéria há mais ou menos 5.000 anos. De acordo com os registros, esta raça só podia ser identificada em meio a essas tribos, acarretando, desse jeito, a sua denominação. Esses cães eram utilizados em práticas no pastoreio, para a caça e ainda para utilizá-los nos trenós.
Os primeiros cachorros da raça Samoiedo surgiram em terras inglesas entre o período de 1870 a 1909, contudo nem todos cachorros eram de pura raça. Afirma-se que a Soberana Alexandra amou tanto da raça que fez o possível para conseguir alavancar a espécie em seu país. A verdade é que ainda é possível de ser vistos descendentes dos cachorros da rainha nos pedigrees recentes.
Os Samoiedos chegaram na América em 1906, um espécime foi dado como presente do Grão-Duque da Rússia Nicolau. A partir da Segunda Grande Guerra a popularidade desse cachorro vem aumentando muito a cada dia em razão do seu temperamento manso, sua linda fisionomia e suas realizações como um cão de tração.

Características Físicas do Samoieda

Esta é uma raça que se aparenta muito a um brinquedo de pelúcia, seu porte é muito vigoroso com uma musculatura bem formada, seus membros são redondos e achatados com um forramento de pelo bem denso, seu crânio tem aspecto de cunha com seus olhos fundos, orelhas de tamanho médio bem distanciadas umas das outras em uma posição vertical e o focinho tem tamanho médio com um tom escuro.
Seu rabo inclina para qualquer lado, o pelo dele é bem espesso e muito belo. Sua expressão facial vem a ser hilária: no momento em que olhamos para ele, parece que ele está continuamente sorrindo!
Seu pelo é comprido, delicado, liso e um tanto volumoso. Sua pigmentação tradicional é o branco puro, todavia somos capazes de vê-lo em outros matizes: branco palha, amarelada, amarelada e branco, preto e branco e branco e castanho.

Temperamento do Samoieda

Esta espécie é muito extrovertida, fazendo o que pode para deixar as pessoas de fora e sua família sempre contentes! Se familiarizado, ele irá querer constantemente, também, dormir todas as noites ao lado de seu dono. As pessoas mais velhas adoram esta espécie, porque ela tem uma disposição em agradar as pessoas e deixá-los mais contentes e, principalmente, sendo uma amizade pelo resto da sua vida.
Ainda que meigo, é significativo que o Samoiedo faça exercícios frequentes porque é um cachorro familiarizado com o trabalho intenso. Não é recomendado conservá-lo preso em coleiras ou dentro de casas ou pequenos apartamentos. Se irritados, eles são capazes de tornar a ser muito destrutivos, mais bagunceiros, mastigadores de objetos e que irão cavar para todos os lados que for possível.
Estes cães não são facilmente ensináveis, são teimosos e mais suscetíveis a puxar trenós do que permancer em correntes, mas por gostarem de agradar o proprietário, irão compreender com o passar do tempo.
Essa raça tende a ser autoritária e podem não conviver bem com outros cães domésticos!

Vantagens em se ter um Samoieda

Samoiedos são muito mansos, frágeis, amorosos, espertos e estão a todo momento com “alegria” na sua face! Cativar o proprietário e todo mundo a sua volta é um grande hábito que este cão possui.
Por sua afetividade e meiguice, o Samoiedo não vai desejar ficar distanciado de seu dono por muito tempo, o que faz com que esta raça muito admirada por todo mundo.
Como esta raça pode conviver bem com visitas e hóspedes, você não terá que ficar esquentando a cabeça em deixar o Samoiedo preso! Seu dono vai ficar satisfeito com a maneira como o Samoiedo lida com os seus amigos e visitantes.
Esta espécie se conserva bastante limpa por muitos dias, ainda que sejam cachorros essencialmente brancos e bastante peludos. Além disto, não geram cheiros típicos de cachorros devido à falta de glândulas subcutâneas. Você terá um gasto muito menor com essa espécie, principalmente se tratando de higienização!

Pontos fracos do Samoieda

As atividades físicas devem ser diárias, por sua formação, o Samoiedo não suporta conservar-se bastante tempo parado, caso isso ocorra, a inquietação e o nervosismo podem atacá-lo.
Caso você deseje um cão para ser um cão protetor, sequer cogite em possuir um Samoiedo.
Os Samoiedos são engraçados, mas, certas vezes, passam do limite, deixando o seu proprietário bastante irritado, uma vez que eles são bastante destrutivos em várias situações.
O Samoiedo é um cachorro bastante dominador, não é indicado ter outros animais de estimação junto dele, principalmente gatos! Entretanto, caso possua qualquer outro cachorro em casa, adestre o Samoiedo desde novo para respeitar os companheiros.
Este cachorro provém de terras nórdicas geladas e, mesmo se adaptando ao clima quente, não é oportuno submetê-los a condições bastante elevadas.
Esta raça troca seu pelo com uma certa frequência, por isso é muito habitual observar sua pelagem por toda a casa.
Certos problemas de saúde são habituais a raça – olhos com coloração estranha, orelhas tombadas, ossatura irregular, joelhos de vaca protuberantes, ondulação nos pelos, características sexuais não estabelecidas, displasia coxofemoral, surdez, nanismo e atrofia progressiva de retina.

Como cuidar de um Samoieda

cachorro samoieda

O Samoiedo é um cão que possui muita energia e carece de despendê-la de algum jeito, se você procura obter um cachorro desta raça, esteja preparado para passeios diários e muita diversão! Caso você queira um cão mais disciplinado, adestre-o desde filhotinho.
Caso você possua outros espécimes no lar é aconselhado que o proprietário ensine o Samoiedo desde novo no intuito de que ele se torne educado com os outros animais de estimação.
Essa raça tem a prioridade em conservar-se dentro da residência, logo é indispensável que o proprietário ensine muito bem o cão com as regras domésticas – todavia fique pronto para uma tarefa espinhosa, pois o Samoiedo é bem teimoso! Outra questão importante é escovar a pelagem do cachorro de duas a três vezes por semana no sentido de evitar que pelos fiquem espalhados ao longo da casa.
Essa espécie é extremamente inteligente e tem necessidade de muito afeto do dono, esteja capacitado para dar muita atenção e amor a ele.

Filhotes de Samoieda

Esses cachorrinhos são muito carentes, toda vez pretendendo amamentar e repousar bastante, sem contar que eles são iguais a umas “bolinhas peludas”! Mas não ache que esse ciclo é longo: em no máximo dez semanas eles podem estar aprontando e sendo verdadeiros “exploradores” pra todo o lado. Essa época é a melhor para que o seu proprietário eduque-o, a fim de que quando amadurecer não dê excessivo trabalho. Nesta etapa ele está mais afeito, dado que é o período em que ele se identifica com a raça que pertence e vai para uma etapa de sociabilização com o ser humano. Depois dos três meses o Samoiedo começa a aumentar a sua autoridade e o tratador tem que aumentar o condicionamento de disciplina do cachorro com mais regularidade. Após 1 ano de vida, este cão fica mais esperto, por conseguinte o seu dono deve incluir mais veemência em seu ensinamento para conseguir melhores resultados.
Um filhote ideal necessita ser travesso e muito bem-disposto. Todos os cães dessa espécie possuem um “sorriso” em seu rosto, com o lábio escurecido e olhos castanhos. Quanto às orelhas, não esquente a cabeça, elas só se elevarão logo após os 3 meses de vida. A cauda cai sobre seu dorso logo após os dois meses.

Curiosidades acerca do Samoieda

Ele é classificado como o cachorro nórdico mais obediente já registrado, ele é bastante agitado e impaciente, já que ele está sempre cavando alguma coisa, quando está nesse nível emotivo.
Nas primeiras importações da espécie para a Inglaterra, nem todos eram genuínos pedigrees nem de cor branca, muitos eram da cor de canela e um pouco menor que a raça pura. Alguns desses cães se originavam de tribos sedentárias.
As primeiras importações oficiais de Samoiedos ocorreram em 1893 e o primeiro clube legítimo de criadores da espécie se efetivou no ano de 1920 e funciona ainda nos dias de hoje.
Em tempos de nevascas, os Samoiedos são capazes de proteger o seu focinho com a própria cauda.
A curvatura de seus lábios dá a aparência de estarem constantemente “sorrindo”..