O Pet Dachshund

Túlio Santos | Raças de Cães | , , , , ,

Resultado de imagem para DachshundPor causa da fisionomia praticamente divertida, Dachshunds (basset hound, Teckel, Cofap, basset salsicha) têm sido um tema favorito de cartunistas e produtores de brinquedos;
O Dachshund existe em dois tamanhos, três modelos de pelos e uma enorme diversidade de cores e manchas, o que quer dizer que há um Dachshund para praticamente todas as pessoas;
Um Dachshund foi mascote dos Jogos Olímpicos de Munique no ano de 1972 – O cachorro Waldi foi o primeiro amuleto oficial em Competições Olímpicas;
A rainha Victoria adorava os Dachshunds, era uma das suas espécies favoritas e devido a ela se tornaram famosos nas terras inglesas;
No Brasil eles ficaram conhecidos como “Cofap” por causa de uma marca de suspensões automotivas que empregam o Dachshund como garoto propaganda;
Seu apelido de “Salsicha” inclusive veio de uma marca de salsichas que usava a nomenclatura da raça em suas mercadorias.

Origem e História do cão Dachshund

Esta é uma espécie bastante velha que segundo determinados historiógrafos datam mais de 5.000 anos, já que foram encontradas inúmeras ilustrações similares a ela em mausoléus de faraós. No entanto, compreende-se que o Teckel foi criado em sua forma atual nas terras alemãs.
Naquele tempo, os alemães buscavam um cachorro que fosse ágil o suficiente, pequeno e resistente a fim de que pudesse adentrar em esconderijos de texugos, lebres e coelhos. Como consequência houve 9 diversos padrões que foram levados para terras inglesas e fizeram parte da corte britânica, o que tornou o cão da raça ainda mais conhecido.
Seu porte, recentemente, não é medido pelo peso, mas pelo contorno de seu tórax, segundo os órgãos internacionais encarregados pela especificação e pelos cuidados desses animais de puro sangue.
Existem duas hipóteses a respeito de como os critérios da raça Teckel surgiram. Uma delas diz que os cães da espécie geravam ocasionalmente filhotes que tinham um pelo ligeiramente mais longo do que seus pais. Por uma triagem feita a partir de apuração de raça, outros cães com o mesmo semblante eram feitos. Outra teoria é que o padrão do cachorro de pelos compridos poderia ter sido desenvolvido a partir de um cruzamento de cães de pelo liso com cachorros de vários locais e Spaniels.
O cachorro de pelagem extensa foi o último a se desenvolver sendo criado no final dos anos 1800. Existe a chance ainda de terem acasalamentos com cães, por exemplo: Schnauzer, o Dandie Dinmont Terrier.

Aspectos Físicos do cachorro da raça Dachshund

guia-dachshund O Teckel, ou Dachshund é um genuíno predador de tocas. Dotado de um olfato finíssimo, o qual lhe permite acompanhar a mais sutis das pistas, o Dachshund costuma chegar à toca e penetrar audaciosamente nela, atacando o inimigo que se escondeu.
Provido de propriedades mentais e estilo físico muito distinto, como por exemplo seu típico porte físico longo e pernas muito curtas, a cinofilia guardou um conjunto de cachorros especialmente para essa raça.
O Dachshund é um cachorro de membros reduzidos, porte físico longo, de aspecto musculoso e constituição muscular firme. Mostra uma postura ativa da cabeça e semblante sempre inteligente. A despeito da assimetria entre o corpo longo e o suas patas pequenas, o Dachshund não parece desprovido de elegância, pesado ou de movimentações circunscritas. Os olhos da raça apresentam tamanho mediano, cor escura, forma ovalada, situados lateralmente, com expressividade vivaz, intensa e bondosa, sem olhar focadamente.
Há 3 tipos de pelagem a saber para a espécie: pelo reduzido, pelo duro e pelo comprido. De menor porte, os tamanhos permitidos para a raça Dachshund também são 3: tamanho mais comum (até 9 quilos); Nanico (com circunferência do tórax até trinta e cinco centímetros aos quinze meses) e Kaninchen (com circunferência do tórax máxima de trinta centímetros aos quinze meses).

Temperamento do cão da raça Dachshund

Se no começo o Dachshund era um valente e intrépido caçador, no presente deixou à parte a maior parte de suas antigas obrigações e transformou-se em cachorro de companhia. Por causa do seu comprimento, é uma excelente opção para quem mora em edifícios, especialmente, visto que aprende com naturalidade os hábitos de limpeza. Adapta-se bem a lugares pequeninos e não é do padrão destruidor.
Inteligente, esperto e muito levado, o Dachshund é um ótimo cão vigia. Sempre atento, a qualquer sinal de proximidade de pessoas estranhas, ladra muito. É um bom parceiro para crianças e brinca também depois de envelhecer. Convive de forma estável com os demais bichos e cães, todavia não foge de uma briga caso seja desafiado.
Determinados produtores declaram que há diferenças de comportamento de acordo com o estilo de pelagem, sendo que os de pequenos pelos seriam mais sociais e os pelos duros mais agitados e, até mesmo, um pouco mais bravos, contudo isto não é confirmado, nem mesmo consta do padrão da espécie.
Outra qualidade da espécie é sua auto-suficiência, o que lhe rendeu fama de rebelde. Na convivência em família é um bom parceiro, gosta e respeita a todos, mas dedica-se a só uma pessoa que elege como proprietário.

Benefícios de possuir um cachorro da espécie Dachshund

Independentemente do seu tamanho, Dachshunds são uma obtenção maravilhosa para todos os membros da família, é por causa disso que eles estão quase no topo da lista como cachorros mais famosos desde meados do século XX. Sua bela aparência e disposição vívida tem inspirado vários apelidos afetuosos para a raça, incluindo Hot Dog, Cão Salsicha, Doxie, Dashie e, especialmente na Alemanha, Teckels, Dachels ou Dachsels.
Entretanto sua aparência foi criada com propósitos muito mais significativos e diretos. Suas pernas curtas lhes permitem escavar e locomover pelo interior de galerias subterrâneas, enquanto o grande tórax guarda um coração firme à luta. Dachshunds são audazes, todavia podem ser um pouco desobedientes e possuir um espírito auto-suficiente, especialmente quando caça.
Em casa, a natureza recreativa do Dachshund se sobressai. Ele gosta de estar perto de você e “ajudar” a fazer as coisas como amarrar os calçados. Em função de sua inteligência, ele em certas ocasiões tem suas ideias próprias sobre quais são as regras na ocasião em que se trata da hora da diversão e essas regras são capazes de não ser as mesmas que você ou outras espécies de cães têm entendimento.

Problemas normais ao cachorro Dachshund

problemas-dachshund O Dachshund defronta certos problemas próprios de espécies de cães baixos (como o Basset Hound), entre eles propensão à obesidade e problemas na coluna. A obesidade pode ser administrada ofertando ao cão alimentos em porção apropriada (procure um veterinário para definir essa medida) e fornecendo uma quantidade satisfatória de exercícios.
Relativo aos problemas nas costas, que várias vezes estão aliados com a obesidade, deve-se impossibilitar que o Dachshund salte de locais altos e/ou caminhe em chãos escorregadiços. Entre os mais comuns estão a luxação de patela (ruptura de um ou dos dois ligamentos cruzados do joelho), por tendência hereditária ou por trauma; osteófitos ou bico de papagaio, provocado pelo aumento exagerado do osso nos espaços no meio das vértebras; hérnia de disco – motivada pela pressão da medula da coluna pelo atrito constante entre as vértebras.
Outro problema comum é a dermatite que é capaz de ser prevenida dando banhos só na ocasião em que for imprescindível.

Como tomar conta de um cão Dachshund

Dachshunds possuem um monte de energia e intensidade. Eles adoram fazer caminhadas ou divertir-se ao ar livre com outros cachorros, bem como amam capturar e cavar. Eles são também ativos dentro da residência e são capazes de se encaixar bem em pequenas salas de estar, contanto que tenham uma quantidade moderada de exercício diário. Dois passeios, duas vezes por dia são o bastante para o porte desse pequeno esportista. Ocasionalmente, no momento em que o tempo for limitado, um jogo de busca irá atender a sua necessidade de atividade.
Dachshunds podem machucar as costas pulando do sofá para o chão, o mais adequado é que tenha uma rampa ou degraus e que sejam educados a utilizar se almejarem subir no sofá ou na cama. No momento em que você alçar um Dachshund, sempre tenha cuidado em apoiar a sua traseira e seu peito.
É uma raça que precisa de poucos cuidados de higiene. Eles perdem pelo, mas não tanto. Eles não precisam tomar banho comumente. Use um pano úmido entre banhos para deixá-los limpos. Caso você more em um lugar que é frio no inverno, seu Dachshund pode carecer de proteção extra no momento em que for caminhar. E esta espécie não deve viver ao ar livre.

Filhotinhos de Dachshund

Resultado de imagem para DachshundA média de nascimentos do Dachshund é de 2 a 10 filhotes, de acordo com o porte da mãe.
Os filhotes precisam de ser ensinados desde muito cedo para que dono e cachorro sejam capazes de possuir uma convivência agradável. É um cão que procura agradar, porém necessita de limites claros e, especialmente, necessita aprender quem é que manda. Segundo os produtores, no caso do Dachshund a obediência aumenta com o amadurecimento.
Como todos os cães, Dachshunds são capazes de ser destruidores quando filhotinhos. Seja paciente com o filhotinho dessa raça e ensine o lugar apropriado para fazer suas necessidades, constantemente exaltando e dando gratificações para incentivar o comportamento certo.

Maltês – Principais Informações

Túlio Santos | Raças de Cães |

Imagem relacionadaO pelo comprido requer uma escovação todo dia para evitar que ele fique embolado, quando necessário faça a tosa do Maltês em um pet shop especializado.  Ele se encontra visível na obra da tapeçaria “A dama e o unicórnio”. O filhote Maltês foi bastante apreciado por enormes celebridades ao longo dos séculos;
Ele é um dos prediletos de famosos, incluindo Halle Berry, Heather Locklear e Eva Longoria;
Embora seu Maltês vá desejar distraí-lo, ele é capaz de ser complicado de ser educado;
Os povos do Egito e, milênios mais tarde, vários povos da Europa, pensavam que o Maltês tinha a eficácia de tratar os indivíduos de doenças e colocavam um no travesseiro de um indivíduo doente. Isso inspirou uma de suas denominações: “O Consolador”;
Ao longo do império de Henrique VIII, o Maltês chegou nas Ilhas da Grã-Bretanha. Até o desfecho do século XVI, o Maltês tinha se tornado um animal doméstico preferido para damas da aristocracia e realeza;
O pequeno cão foi um dos preferidos da soberana Elizabeth I, Mary Queen of Scots e Rainha Vitória;
Diversos pintores, incluindo Goya e Sir Joshua Reynolds, inseriu estes cachorros pequenos em seus retratos de senhoras formosas.

Origem e História do magnífico cachorro Maltês

historia-maltes Os ancestrais do Maltês vêm das cidades marítimas do Mediterrâneo. Eles eram usados para acossar ratos e camundongos que atacavam embarcações e armazéns e as primeiras referências que temos deste cachorro remontam à época Egípcia. Uma das raças mais velhas do mundo, o Maltês foi um companheiro adorado por aproximadamente três mil anos. Poetas romanos escreveram a respeito desta espécie e os gregos tinham jazigos especiais feitos para eles. No decorrer de muitos anos eles desfilaram em volta dos palácios, brincavam nos jardins reais e passeavam nas residências senhoriais.
Chamada pelo nome latim de Canis Malitaeus desde épocas antigas, o cachorro Maltês ainda já foi referido como Cão Leão Maltês e Antigo Cachorro de Malta. No entanto, a sua origem não está ligada à ilhota da ilha de Malta, na Sicília, todavia sim ao termo porto (ou refúgio), vinda da tradução do termo “málat”.
O Maltês teve seu lançamento nos EUA numa exposição em Westminster, no período de 1877. Um ano em seguida, a raça foi registrada oficialmente. Em tempos mais antigos, o Maltês nascia com pelos de outras colorações, definindo a sua nuance alva com o decorrer do tempo. Até 1913 diversas colorações ainda eram permitidas nas exposições da raça. Foi após o século XX que se tornou obrigatório que os Malteses fossem totalmente brancos.

Características Físicas do Maltês

O Bichon Maltês é visto como um cão de porte pequeno e tem uma pelagem extensa e branca. A grande maioria das partes do corpo acabam sendo proporcionais, não tendo grandes diferenças de porte, apesar de revelar um corpo comprido em comparação com sua altura.
A cabeça do Maltês é simétrica ao restante de seu corpo, o focinho é de tamanho médio e o seu stop é bem delineado. Seus olhos são enormes, pretos e inclusive circulares. O focinho é sempre preto e fica em contraste com o branco da pelagem. As suas orelhas geralmente são inclinadas e totalmente revestidas de uma longuíssima pelagem. A raça tem longos bigodes e também uma franja típica. Seus membros são inteiramente cobertos pela pelagem, o que provavelmente não vai impedir a locomoção do cão. Sua cauda inclusive é dotada de uma ampla pelagem.
Isso lhes dá uma aparência nobre e de bastante elegância que, em razão do seu pelo sedoso e a sua forma de andar suave, faz com que este cão pareça voar por cima do solo, tamanha a sua elegância de locomoção.

O gênio do Maltês

comportamento-maltes É uma espécie cordial e sem medo. Este é um cachorro enérgico e musculoso que se destaca não apenas como um companheiro, como também como um cachorro de terapia e concorrente em certas provas para cão como agility, obedience, rally e tracking. Porém, principalmente, ele ama estar com seus donos.
O Maltês tem uma ótima característica de adaptar-se com a rotina de seu proprietário. Se por acaso a pessoa for muito afetiva e operante ele inclusive será, porém, se for tranquila, o Maltês é capaz de apresentar um comportamento que seja bastante tranquilo. Isto torna o Maltês um cão de companhia por excelência.
É um bicho que costuma ser muito amorável, e por esse motivo, é capaz de ficar muito tempo distraindo-se e brincando com as crianças. Ainda assim, por causa de seu tamanho, as crianças têm que ser controladas para que não o firam. Ele é capaz de ficar bastante entristecido quando isto ocorre.

Vantagens de ter um pet Maltês

O Maltês é muito vivo e ativo, ainda tem uma garganta afiada, Caso você não queira um cão que grite ou até mesmo faça barulho, adquira outra raça, pois essa não é a apropriada. Mesmo assim, ele é um ótimo cachorro de alarme. Muito dedicado à família, gosta muito de atenção e ama ser acariciado especialmente seu dono.
É uma das mais pequenas de todas as espécies, além de ser agradável e também alegre para brincar. O Maltês (Bichon Maltês) com certeza é uma excelente pedida para se ter no lar, em especial para quem vive em edifícios e fica muito tempo na residência, para fazer companhia.
Como normalmente é um cachorro muito sociável, se dá bem com outros cachorros, desde que viva eventualmente com eles. É um cão muito aventureiro e bagunceiro, costumando atiçar cachorros de tamanhos maiores, por isso é essencial ter cuidados.
Vive bem em apartamentos e não necessita de um quintal, desde que ele seja suficientemente exercitado. Sair para realizar passeios diários e, ainda, boas doses de brincadeiras poderão deixar este cachorro bastante bem fisicamente.

Problemas usuais do Maltês

problemas-maltes Esse é um cachorro saudável, seus olhos, todavia são a sua zona mais vulnerável no que diz respeito a enfermidades. Existem também incidências de cães com deficiência auditiva nesta raça. Por fazerem festa a cada membro da residência, fazem questão de estar constantemente próximos dos indivíduos. Apesar disso, sempre escolhem um deles como o dono central e precisam ser instruídos, pois são capazes de ficar bastante ansiosos e nervosos quando o problema é um número muito grande de pessoas em sua residência, o que tem a chance de causar estresse.
O Maltês manifesta, principalmente, 2 distúrbios constantes que são alergias e problemas na pele, ocasionados por pulgas ou produtos de limpeza. Eles podem também possuir luxação da patela.
Outra fonte de atenção precisa ser prestada à dentição dupla, na ocasião em que os dentes de leite não caem na ocasião em que os efetivos despontam. Neste caso, o mais indicado é que os dentes provisórios sejam arrancados para não encavalarem com os demais. A espécie tem também tendência ao tártaro que pode desenvolver-se para um grave problema na gengiva e causar a queda deles.

Como cuidar de um Maltês

Sua pelagem branca requer vários cuidados especiais a fim de que não manchem. Os olhos terão que ser regularmente limpos e a barba necessitará de ser limpa depois de cada uma das alimentações.
É um cachorro que necessita de banhos mais frequentes do que outros espécimes de cães, visto que seu pelo comprido se arrasta ao chão e se suja com bem mais facilidade. Frequentemente os proprietários optam por tosar a pelagem, com finalidade de tornar o cãozinho mais fácil de cuidar. No momento em que o pelo é deixado longo, os donos precisam amarrar a franja com uma buchinha de cabelo para impedir que caia por cima de seus olhos.
A grande qualidade da raça é que não cai pelos, sendo assim formidável para quem conta com móveis que agarram pelos carpetes, dentre outros, além de serem sem riscos para as pessoas que sofrem com crises alérgicas.
A quantia diária de ração aconselhada é de 1/4 a 1/2 xícara por dia, partida em duas refeições. Não deixe que seu Maltês fique obeso, vigiando sua comida e alimentando o animal duas vezes por dia, ao invés de deixar comida sempre acessível.

As Crias do pet Maltês

Os filhotes quando nascem são ligeiramente diferentes dos seus pais. Normalmente o focinho, o olho e os lábios são cor-de-rosa e logo após a primeira semana começam a despontar manchinhas escuras neles. Na quase totalidade dos Malteses a pigmentação está finalizada aos 2 meses e caso neste período a parte rósea em torno dos olhos for superior a ¼, essa marcação não altera mais. O aconselhado é que o nariz, os olhos e os lábios estejam pretos logo aos sessenta dias.
Os pelos brancos e sem pintas inclusive não é uma conjuntura intrínseca aos filhotes. Normalmente há filhotinhos que nascem com tonalidades laranjas que varia de dez a quarenta por cento. Essa é outra pecularidade que pode variar num prazo de dois a seis meses, no momento em que, enfim, os pelos adquirem a pigmentação branca pura.

Saiba se deixar um cão desacompanhado é certo ou não!

Túlio Santos | Curiosidades sobre Cães |

Deixar um cão sozinho em sua residência não é uma tarefa simples. Mesmo que não seja agradável, ocasionalmente é necessário deixar um cão sozinho no lar. Particularmente, para aquelas pessoas que vivem só e têm que ir para o trabalho, fazer compras, pagar contas, entre outras coisas. É bem habitual o indivíduo sair de casa na parte da manhã e somente regressar à noite, ou seja, praticamente 12 horas ao dia distante do seu cãozinho.

Mas, no fim das contas, quanto tempo podemos deixar um cão sozinho desacompanhado? Será que existe um limite sugerido para tal? Será que o animalzinho é capaz de se sentir sozinho e também ficar doente? Mas, para a sua calma, a resposta é não.

No entanto, não fique aí de bobeira e saiba por qual motivo não existe um limite de tempo para o seu animal ficar desacompanhado em sua residência. Vamos lá?

Fique relaxado: Os cães suportam ficar bastante tempo desacompanhados

cachorro-em-casa “Não há um limite máximo de horas que um animal doméstico pode ficar desacompanhado”, conta Giulliana Tessari, gerente técnica da rede de hospitais veterinários e pet-shops Petz. O que existe é uma tolerância maior de algumas espécies em relação a solidão. Por conseguinte, caso você saiba que vai ficar longe por muitas horas, aconselha-se que selecione uma espécie mais independente para ter no lar – ou até algum gato.

Conforme Giulliana, algumas das espécies mais independentes são Pug, Lhasa Apso, Shih Tzu, Schnauzer, entre outras. Conforme o caso, muitos desses são capazes de conseguir ficar de 8 a 10 horas sem a presença dos proprietários.

Ela ainda traz determinadas espécies que não conseguem suportar a solidão. É imprescindível enfatizar que, se resolver adquirir algumas dessas, você necessita pensar, também, nisto. Entre estas, podemos mencionar: Spitz, Chihuahua, Pischer, Yorkshire, Maltes, Poodle, Biewer e Griffon de Bruxellas.

Precauções a serem tomadas

Vale salientar que, independente da espécie, há determinadas maneiras de diminuir o impacto do bichinho desacompanhado em sua residência. “Os animais de estimação precisam se acostumar com o cotidiano dos seus tutores desde filhotinhos. Um ponto considerável é deixar brinquedos educativos, a fim de que possam passar a maior parcela do tempo se divertindo. E utensílios e brinquedos que façam com que os cachorros consigam se movimentar, ao invés de ficar destruindo os objetos”, salienta.

Mais imprescindível ainda do que deixar brinquedos é nunca esquecer de deixar água limpa à vontade para os espécimes. Giulliana também adverte para a relevância de pensar muito antes de fazer an adoção de um espécime. “A obtenção de um bicho de estimação precisa ser pensada por todos os familiares. Estamos falando de uma vida que demanda tempo e dedicação”, salienta.

Sugestões para quem deve deixar um cão sozinho no lar

Aqui unimos sugestões para que seu cão não sofra tanto ao ficar sozinho em casa ou apartamento. Recordando que estas dicas têm que ser adotadas corretamente a fim de que elas sejam aproveitáveis. Se necessário, converse com um veterinário ou especialista em comportamento canino para tirar suas dúvidas. Siga nossas sugestões a seguir e boa sorte:

Seja Resoluto

Jamais diga “adeus”, dê beijos ou converse melosamente. Isso indica que há alguma situação que está incomodando você, fazendo você sofrer. Sendo assim ele fica aflito e poderá chorar, latir, se machucar, etc. Sempre que for sair, simplesmente vire as costas e saia. Sem cerimônia, sem voltas, sem pena. Quanto mais “normal” parecer a situação, mais rápido ele se habitua an ela.

Aja naturalmente

Quando voltar aguarde um pouco para fazer “festinhas”. Se abrir a porta já esfregando as mãos nele, fazendo chamego e pegando no colo, ele vai ficar te esperando todos os dias, bem aflito por sua volta. Chegue em casa, mude de roupa, aja normalmente e apenas aí, faça festinha para seu cão. É tentador, entretanto você vai estar fazendo o que é melhor pra ele.

Deixe objetos para ele ficar distraído

cachorro-brincando Deixe objetos para mastigar, ursinhos e guloseimas escondidas. Existem brinquedos inteligentes que fazem com que ele tenha o que fazer por algum tempo. Deixe 2 ou 3 brinquedos “especiais” guardados. Esses brinquedos jamais irão ficar à disposição dele o tempo todo.

São brinquedos que você brinca com ele, estimula muito e no momento em que ele estiver doido pelo objeto, você pega de volta. Estes brinquedos servem também para auxiliar nessas horas de isolamento prolongado. Você também pode adaptar, pegar uma garrafa pet, colocar petiscos que ele goste dentro, vedar bem e fazer furos pequeninos por toda garrafa.

Deixe algo com seu cheiro para o seu cachorro

Se for possível, deixe uma camiseta sua com ele. Seu aroma faz com que ele não se sinta tão desacompanhado.

Tire de perto do seu cão qualquer coisa que puder feri-lo

Cuidado com coisas como brinquedos que têm partes soltas, pelúcia, ossos, etc. Se ele engasgar com uma parte, você não estará perto para auxiliar. Tire também fios e objetos que podem se quebrar. Desligue componentes eletrônicos das tomadas para o caso dele mastigar.

O adequado é que você delimite um espaço, assim você reduz os riscos de ele se machucar. Como por exemplo, fechar a porta do banheiro, quarto de hóspedes, enfim.

Deixe-o preso, caso ele ainda seja um filhote

Caso seja filhotinho, ele necessita de ficar preso em uma área restrita à medida que não estiver habituado com a nova habitação, com a rotina de ficar solitário e com as necessidades em uma folha de ou num tapete. Saiba como ensiná-lo an urinar e defecar no lugar exato e aprenda a preparar a sua casa para a chegada do filhotinho.

Incrível! Os cães sentem se uma pessoa é boa ou má

Túlio Santos | Curiosidades sobre Cães

Que os cachorros são criaturas cativantes, todas as pessoas já sabem. Eles são brincalhões, amorosos e bem fiéis. Agora, fique esperto, já que temos uma novidade para te contar: os cães sentem se uma pessoa é boa ou má ! Está duvidando? Podemos provar para você!

Você já notou que determinados cachorros ficam entristecidos sempre que os seus proprietários os advertem? Ou, que eles ficam bastante alegres e saltitantes quando ouvem seus proprietários que chegam e se divertem com eles? Isso deve-se ao fato de que os cachorros sabem quando uma pessoa é má ou não.

Mediante o jeito como um ser humano se comporta, o timbre de voz, o movimento corporal, tudo isso influencia na forma como os cachorros nos enxergam. Em razão disso, eles conseguem sentir os reais propósitos de uma pessoa. Por conseguinte, fica claro que os cães sentem se uma pessoa é boa ou má sem muito problema. Incrível, não é verdade? Continue a leitura e se surpreenda.

Por que a experiência foi executada?

Os cães podem não parecer super inteligentes sempre que começam a seguir suas próprias caudas. Entretanto, de várias maneiras, são criaturas com um enorme potencial mental. Em especial, eles são bastante conscientes socialmente, tanto com seres humanos quanto com outros cachorros.

Diversos estudos revelaram que eles podem sentir sentimentos dos seres humanos, como distinguir rostos felizes e raivosos e até mesmo ficar enciumados. Porém, parece que eles também são capazes de sentir se alguém é ou não é leal. E tenha certeza: uma vez que um cão percebe alguma coisa errada no ar, ele dá indícios e você necessita ficar de olho em cada um deles.

Você já deve ter notado que os cachorros sabem o que significa que um indivíduo apontando para algo, isto é, se o dono de um cão aponta para o local de um brinquedo, vareta ou comida, o espécime irá correr e explorar o lugar em que o proprietário está apontando.

De que modo foi possível perceber que os cães sentem se uma pessoa é boa ou má?

cao-rosnando Porém, o que você talvez não saiba é que as últimas pesquisas mostram que eles são rápidos em constatar se estes movimentos podem ser enganosos. Num estudo divulgado na revista Animal Cognition, uma equipe liderada por Akiko Takaoka, da Universidade de Kyoto, no Japão, apresentou trinta e quatro cães e três rodadas de apontar.

Ela se sucedeu da seguinte forma: um jovem apontou para uma tigela cheia de ração que estava encoberta. Em seguida, apontou para uma vasilha sem nada dentro, que assim como a primeira, estava escondida. E em uma 3ª vez, apontou novamente para aquela que se achava com ração e, logo, os cães não o responderam, na ocasião em que ele indicou onde se encontrava a comida.

Trocaram de pessoa, e falaram para que ele pudesse indicar em que lugar estava a ração, a mesma que havia sido apontada pela última vez, só que com o rapaz anterior. Dessa vez, porém, os cães se interessaram no lugar indicado, e foram atrás desse último homem. Takaoka ficou abismado. E o que se constatou foi que os indivíduos são capazes de perder a credibilidade dos cães.

Conclusão

Portanto, nunca engane seu cão, ele pode não confiar em você mais uma vez. Takaoka diz que ficou surpreso ao ver que os cachorros “desconsideraram a confiança de um ser humano” tão depressa. Como o próprio diz: “Eles detêm uma inteligência social mais refinada do que imaginamos, que evoluiu seletivamente em sua longa caminhada ao lado da espécie humana”.

A próxima fase, de acordo com o cientista, seria testar outras espécies estreitamente ligadas, como os lobos. Isto revelaria os “efeitos profundos da domesticação” na inteligência social dos cães. Dessa forma, o estudo destacou que os cães são atraídos para situações previsíveis.