Saiba se deixar um cão desacompanhado é certo ou não!

Túlio Santos | Curiosidades sobre Cães |

Deixar um cão sozinho em sua residência não é uma tarefa simples. Mesmo que não seja agradável, ocasionalmente é necessário deixar um cão sozinho no lar. Particularmente, para aquelas pessoas que vivem só e têm que ir para o trabalho, fazer compras, pagar contas, entre outras coisas. É bem habitual o indivíduo sair de casa na parte da manhã e somente regressar à noite, ou seja, praticamente 12 horas ao dia distante do seu cãozinho.

Mas, no fim das contas, quanto tempo podemos deixar um cão sozinho desacompanhado? Será que existe um limite sugerido para tal? Será que o animalzinho é capaz de se sentir sozinho e também ficar doente? Mas, para a sua calma, a resposta é não.

No entanto, não fique aí de bobeira e saiba por qual motivo não existe um limite de tempo para o seu animal ficar desacompanhado em sua residência. Vamos lá?

Fique relaxado: Os cães suportam ficar bastante tempo desacompanhados

cachorro-em-casa “Não há um limite máximo de horas que um animal doméstico pode ficar desacompanhado”, conta Giulliana Tessari, gerente técnica da rede de hospitais veterinários e pet-shops Petz. O que existe é uma tolerância maior de algumas espécies em relação a solidão. Por conseguinte, caso você saiba que vai ficar longe por muitas horas, aconselha-se que selecione uma espécie mais independente para ter no lar – ou até algum gato.

Conforme Giulliana, algumas das espécies mais independentes são Pug, Lhasa Apso, Shih Tzu, Schnauzer, entre outras. Conforme o caso, muitos desses são capazes de conseguir ficar de 8 a 10 horas sem a presença dos proprietários.

Ela ainda traz determinadas espécies que não conseguem suportar a solidão. É imprescindível enfatizar que, se resolver adquirir algumas dessas, você necessita pensar, também, nisto. Entre estas, podemos mencionar: Spitz, Chihuahua, Pischer, Yorkshire, Maltes, Poodle, Biewer e Griffon de Bruxellas.

Precauções a serem tomadas

Vale salientar que, independente da espécie, há determinadas maneiras de diminuir o impacto do bichinho desacompanhado em sua residência. “Os animais de estimação precisam se acostumar com o cotidiano dos seus tutores desde filhotinhos. Um ponto considerável é deixar brinquedos educativos, a fim de que possam passar a maior parcela do tempo se divertindo. E utensílios e brinquedos que façam com que os cachorros consigam se movimentar, ao invés de ficar destruindo os objetos”, salienta.

Mais imprescindível ainda do que deixar brinquedos é nunca esquecer de deixar água limpa à vontade para os espécimes. Giulliana também adverte para a relevância de pensar muito antes de fazer an adoção de um espécime. “A obtenção de um bicho de estimação precisa ser pensada por todos os familiares. Estamos falando de uma vida que demanda tempo e dedicação”, salienta.

Sugestões para quem deve deixar um cão sozinho no lar

Aqui unimos sugestões para que seu cão não sofra tanto ao ficar sozinho em casa ou apartamento. Recordando que estas dicas têm que ser adotadas corretamente a fim de que elas sejam aproveitáveis. Se necessário, converse com um veterinário ou especialista em comportamento canino para tirar suas dúvidas. Siga nossas sugestões a seguir e boa sorte:

Seja Resoluto

Jamais diga “adeus”, dê beijos ou converse melosamente. Isso indica que há alguma situação que está incomodando você, fazendo você sofrer. Sendo assim ele fica aflito e poderá chorar, latir, se machucar, etc. Sempre que for sair, simplesmente vire as costas e saia. Sem cerimônia, sem voltas, sem pena. Quanto mais “normal” parecer a situação, mais rápido ele se habitua an ela.

Aja naturalmente

Quando voltar aguarde um pouco para fazer “festinhas”. Se abrir a porta já esfregando as mãos nele, fazendo chamego e pegando no colo, ele vai ficar te esperando todos os dias, bem aflito por sua volta. Chegue em casa, mude de roupa, aja normalmente e apenas aí, faça festinha para seu cão. É tentador, entretanto você vai estar fazendo o que é melhor pra ele.

Deixe objetos para ele ficar distraído

cachorro-brincando Deixe objetos para mastigar, ursinhos e guloseimas escondidas. Existem brinquedos inteligentes que fazem com que ele tenha o que fazer por algum tempo. Deixe 2 ou 3 brinquedos “especiais” guardados. Esses brinquedos jamais irão ficar à disposição dele o tempo todo.

São brinquedos que você brinca com ele, estimula muito e no momento em que ele estiver doido pelo objeto, você pega de volta. Estes brinquedos servem também para auxiliar nessas horas de isolamento prolongado. Você também pode adaptar, pegar uma garrafa pet, colocar petiscos que ele goste dentro, vedar bem e fazer furos pequeninos por toda garrafa.

Deixe algo com seu cheiro para o seu cachorro

Se for possível, deixe uma camiseta sua com ele. Seu aroma faz com que ele não se sinta tão desacompanhado.

Tire de perto do seu cão qualquer coisa que puder feri-lo

Cuidado com coisas como brinquedos que têm partes soltas, pelúcia, ossos, etc. Se ele engasgar com uma parte, você não estará perto para auxiliar. Tire também fios e objetos que podem se quebrar. Desligue componentes eletrônicos das tomadas para o caso dele mastigar.

O adequado é que você delimite um espaço, assim você reduz os riscos de ele se machucar. Como por exemplo, fechar a porta do banheiro, quarto de hóspedes, enfim.

Deixe-o preso, caso ele ainda seja um filhote

Caso seja filhotinho, ele necessita de ficar preso em uma área restrita à medida que não estiver habituado com a nova habitação, com a rotina de ficar solitário e com as necessidades em uma folha de ou num tapete. Saiba como ensiná-lo an urinar e defecar no lugar exato e aprenda a preparar a sua casa para a chegada do filhotinho.

Incrível! Os cães sentem se uma pessoa é boa ou má

Túlio Santos | Curiosidades sobre Cães

Que os cachorros são criaturas cativantes, todas as pessoas já sabem. Eles são brincalhões, amorosos e bem fiéis. Agora, fique esperto, já que temos uma novidade para te contar: os cães sentem se uma pessoa é boa ou má ! Está duvidando? Podemos provar para você!

Você já notou que determinados cachorros ficam entristecidos sempre que os seus proprietários os advertem? Ou, que eles ficam bastante alegres e saltitantes quando ouvem seus proprietários que chegam e se divertem com eles? Isso deve-se ao fato de que os cachorros sabem quando uma pessoa é má ou não.

Mediante o jeito como um ser humano se comporta, o timbre de voz, o movimento corporal, tudo isso influencia na forma como os cachorros nos enxergam. Em razão disso, eles conseguem sentir os reais propósitos de uma pessoa. Por conseguinte, fica claro que os cães sentem se uma pessoa é boa ou má sem muito problema. Incrível, não é verdade? Continue a leitura e se surpreenda.

Por que a experiência foi executada?

Os cães podem não parecer super inteligentes sempre que começam a seguir suas próprias caudas. Entretanto, de várias maneiras, são criaturas com um enorme potencial mental. Em especial, eles são bastante conscientes socialmente, tanto com seres humanos quanto com outros cachorros.

Diversos estudos revelaram que eles podem sentir sentimentos dos seres humanos, como distinguir rostos felizes e raivosos e até mesmo ficar enciumados. Porém, parece que eles também são capazes de sentir se alguém é ou não é leal. E tenha certeza: uma vez que um cão percebe alguma coisa errada no ar, ele dá indícios e você necessita ficar de olho em cada um deles.

Você já deve ter notado que os cachorros sabem o que significa que um indivíduo apontando para algo, isto é, se o dono de um cão aponta para o local de um brinquedo, vareta ou comida, o espécime irá correr e explorar o lugar em que o proprietário está apontando.

De que modo foi possível perceber que os cães sentem se uma pessoa é boa ou má?

cao-rosnando Porém, o que você talvez não saiba é que as últimas pesquisas mostram que eles são rápidos em constatar se estes movimentos podem ser enganosos. Num estudo divulgado na revista Animal Cognition, uma equipe liderada por Akiko Takaoka, da Universidade de Kyoto, no Japão, apresentou trinta e quatro cães e três rodadas de apontar.

Ela se sucedeu da seguinte forma: um jovem apontou para uma tigela cheia de ração que estava encoberta. Em seguida, apontou para uma vasilha sem nada dentro, que assim como a primeira, estava escondida. E em uma 3ª vez, apontou novamente para aquela que se achava com ração e, logo, os cães não o responderam, na ocasião em que ele indicou onde se encontrava a comida.

Trocaram de pessoa, e falaram para que ele pudesse indicar em que lugar estava a ração, a mesma que havia sido apontada pela última vez, só que com o rapaz anterior. Dessa vez, porém, os cães se interessaram no lugar indicado, e foram atrás desse último homem. Takaoka ficou abismado. E o que se constatou foi que os indivíduos são capazes de perder a credibilidade dos cães.

Conclusão

Portanto, nunca engane seu cão, ele pode não confiar em você mais uma vez. Takaoka diz que ficou surpreso ao ver que os cachorros “desconsideraram a confiança de um ser humano” tão depressa. Como o próprio diz: “Eles detêm uma inteligência social mais refinada do que imaginamos, que evoluiu seletivamente em sua longa caminhada ao lado da espécie humana”.

A próxima fase, de acordo com o cientista, seria testar outras espécies estreitamente ligadas, como os lobos. Isto revelaria os “efeitos profundos da domesticação” na inteligência social dos cães. Dessa forma, o estudo destacou que os cães são atraídos para situações previsíveis.